segunda-feira, 31 de outubro de 2016

JUIZ NÃO AUTORIZA QUE EMÍLIA CUIDE DA SAÚDE NA AUSTRÁLIA E MANDA-A REGRESSAR

JUIZ NÃO AUTORIZA QUE EMÍLIA CUIDE DA SAÚDE NA AUSTRÁLIA E MANDA-A REGRESSAR


O juiz do processo no Tribunal Distrital de Díli, que envolve a ex-ministra Emília Pires e Madalena Hanjan, fez saber que não autoriza que Emília Pires cuide da saúde na Austrália e exige que regresse de imediato a Timor-Leste, procedendo à entrega do seu passaporte.

Anteriormente o Tribunal acedeu autorizar que a ex-ministra viajasse para o estrangeiro a fim de participar numa reunião do g7+, entregando-lhe o passaporte que durante o decorrer do processo tem estado apreendido pelo TDD.

Segundo os argumentos do juiz a autorização para a arguida se ausentar só inclui a viagem ao exterior para a participação no g7+ e não para efetuar tratamentos de saúde na Austrália.

Na recente informação veiculada pelo jornal online Ola Timor, em tétum, é mencionado que o juiz esclareceu que o que foi requerido ao tribunal por Emília Pires foi a saída do país para participar no g7+ e não para tratamento de saúde na Austrália. Por isso a arguida tem de regressar a Timor-Leste. Depreendendo-se que se acaso continuar a precisar de tratamento de saúde na Austrália terá então de requerer ao tribunal saída do país para esse efeito.

Timor Agora com Ola Timor
Fretilin aponta irregularidades nas eleições locais em Timor-Leste

Fretilin aponta irregularidades nas eleições locais em Timor-Leste


Díli, 31 out (Lusa) - Os líderes do segundo partido timorense, Fretilin, manifestaram-se hoje preocupados com irregularidades e "grande desorganização" que dizem ter ocorrido em vários pontos de Timor-Leste nas eleições locais de sábado.

"Houve uma grande desorganização. Entregaram aos sucos e às aldeias a responsabilidade pela organização disto e houve muitos problemas, alguns causados pela própria lei da eleição", disse à agência Lusa Mari Alkatiri, secretário-geral da Fretilin.

"Eu próprio quando fui votar vi que uma das candidatas a chefe de suco estava na mesa a controlar. Imagine isso a acontecer num ato eleitoral qualquer", sublinhou.

Não foi, até agora, possível à Lusa obter comentários das autoridades timorenses responsáveis pelo ato eleitoral de sábado, não tendo também sido ainda fornecidos quaisquer dados oficiais com resultados.

Alkatiri confirmou que enviou mensagens ao primeiro-ministro e ao ministro da Administração Estatal para alertar para os problemas, explicando que algumas das situações foram provocadas pela própria lei.

"Decidiram fazer tudo listas abertas mas isto é complicado em mais de 2000 aldeias e 442 sucos. E os problemas evidenciaram-se nas segundas rondas de votação nas aldeias, onde houve candidatos eleitos por apenas 10% dos votos", afirmou.

A lei prevê segunda volta na eleição de chefes de aldeia quando um candidato não consegue pelo menos 50% dos votos, no mesmo dia (sábado), independentemente de quantos eleitores estivessem presentes.

No caso dos chefes de suco, a segunda volta está prevista para 24 de novembro.

"A lei já era um pouco maluca. Temos agora de fazer um balanço completo do que aconteceu, mas tentar corrigir na base da mesma lei, onde estas situações são legais, não serve de muito. Para corrigir poderemos ter de fazer revisão à lei", disse.

Alkatiri disse que a eleição foi legítima "nos candidatos eleitos à primeira volta" e que foi "legalmente correta na segunda volta" no caso das aldeias.

"Estamos de mãos atadas. Algumas pessoas foram eleitas com apenas 10% dos votos. Pode ser complicado para alguém que vai ficar cinco ou seis anos no cargo e que a própria comunidade pode nem reconhecer", afirmou.

Para Mari Alkatiri, "é uma lição para as pessoas aprenderem que não é só a lei que confere a legitimidade": "É a realidade e o contexto que a confere também. Porque senão os ditadores também eram legítimos", disse, acrescentando que é uma lição também para o processo de desconcentração e autonomia administrativa".

"Começaram a dar autonomia às comunidades de base mas elas precisam de capacidade organizativa e administrativa. Sem isso não podem ter autonomia", considerou.

Francisco Guterres (Lu-Olo), presidente da Fretilin, deixou preocupações idênticas numa mensagem na sua página pessoal do Facebook em que questionou a legitimidade de algumas das votações de sábado.

Pouca clareza sobre o número total de eleitores, confusão com os três boletins de voto (para chefe de aldeia, chefe de suco e delegados) e sobre o número de candidatos, foram alguns dos problemas apontados pelo presidente da Fretilin. Destacou ainda o caso da eleição de chefes de aldeia escolhidos na segunda volta.

Lu-Olo, que deseja "sucesso e transparência a este processo", dirige-se às autoridades e apela a que analisem com cuidados as várias situações detetadas para garantir que a eleição respeita a vontade da maioria.

No total, 2.071 pessoas, incluindo 319 mulheres, apresentaram-se como candidatos à eleição das autoridades locais e tradicionais dos 442 sucos do país, segundo dados do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE).

Os cerca de 720 mil eleitores foram chamados a escolher os responsáveis nos 442 sucos (equivalentes a freguesias), que passam a ser geridos por quatro estruturas: Conselho de Suco, chefe de Suco, Assembleia de Aldeia e chefe de Aldeia.

ASP // MP
Operação adia regresso a Díli de ex-ministra das Finanças que está a ser julgada - defesa

Operação adia regresso a Díli de ex-ministra das Finanças que está a ser julgada - defesa


Díli, 31 out (Lusa) - A ex-ministra das Finanças timorense, que está a ser julgada no Tribunal de Díli, só poderá regressar a Timor-Leste depois de ser operada a um pé no dia 05 de novembro, disse à Lusa o seu advogado.

José Camões, advogado de defesa de Emília Pires, explicou que a sua cliente deveria ter voltado a Díli este mês, depois de uma viagem ao estrangeiro em representação do Estado, mas que um problema antigo no pé "se agravou" necessitando de cirurgia.

"Os médicos analisaram a situação e comprovaram que ela tem que ser operada, que não há outra solução. Vai ser operada no dia 05 de novembro", explicou à Lusa.

"Só depois da operação saberemos quanto tempo terá de recuperação e exatamente quando poderá voltar", explicou.

A defesa remeteu já ao Tribunal de Díli um atestado médico a comprovar a necessidade da operação acompanhado de um pedido para que Emília Pires possa ser substituída por mandatários no seu julgamento, como está previsto no Código do Processo Penal.

A próxima audiência no processo está marcada para 04 de novembro, devendo o Tribunal Distrital pronunciar-se sobre esse pedido da defesa e determinar os passos seguintes no processo que está praticamente no final.

Recorde-se que o coletivo de juízes deu na passada segunda-feira a Emília Pires um prazo de cinco dias para regressar a Timor-Leste e entregar o passaporte, recusando estender a autorização que lhe deu para sair do país.

Emília Pires, que é acusada, com a ex-vice-ministra da Saúde Madalena Hanjam, de participação económica em negócio e administração danosa, pediu autorização ao Tribunal de Díli para se ausentar do país para realizar uma viagem em representação do Estado timorense.

As duas ex-governantes estão sujeitas a medidas de coação que incluem a proibição de saída do país, mas o juiz autorizou que que Emília Pires representasse Timor-Leste em vários encontros nos Estados Unidos da América e na Europa.

No entanto, a autorização era até 19 de outubro, data em que Emília Pires deveria ter regressado a Timor-Leste, para entregar o passaporte a 20 de outubro e ser ouvida, nas suas declarações finais no tribunal, no dia seguinte.

A defesa de Emília Pires, porém, apresentou um requerimento a 18 de outubro para solicitar o adiamento do regresso para 01 de novembro e para prescindir das declarações finais de Emília Pires, o último passo antes de o julgamento ficar visto para sentença.

O tribunal deferiu a opção de não prestar declarações mas rejeitou o pedido de adiamento e ordenou que a ex-ministra apresente o passaporte em cinco dias.

Emília Pires e Madalena Hanjam são acusadas de irregularidades na compra de centenas de camas hospitalares em contratos adjudicados à empresa do marido da primeira, com um suposto conluio entre os três para a concretização do negócio, no valor de 800 mil dólares.

Nas alegações finais, o Ministério Público deu todas as acusações como provadas e pediu penas de prisão de 10 anos para as duas arguidas.

As alegações finais da defesa ficaram marcadas por críticas ao Ministério Público e à forma como o processo foi conduzido desde o início, em 2012.

O julgamento começou há um ano e foram ouvidas dezenas de testemunhas, incluindo os ex-Presidentes Xanana Gusmão e José Ramos-Horta e o ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri.

ASP// ATR
Cimeira CPLP. Documento final deverá apostar na livre circulação de pessoas

Cimeira CPLP. Documento final deverá apostar na livre circulação de pessoas


Brasília, 30 out (Lusa) - A Nova Visão Estratégica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a aprovar na cimeira de Brasília, deverá apostar na livre circulação de pessoas, bens e serviços e numa maior participação dos países observadores associados.

O representante permanente de Timor-Leste junto da organização, Antonito de Araújo, disse hoje à agência Lusa que o documento final define "como vai ser a comunidade daqui a dez anos", até 2026, e deverá incluir a questão da "mobilidade de pessoas, bens e serviços" e "o aspeto económico".

O representante timorense junto da CPLP dava conta dos resultados da reunião do Comité de Coordenação Permanente (CCP), no sábado, avançando alguns pontos da Nova Visão Estratégica.

Porém, frisou, o documento ainda está sujeito à aprovação no encontro dos chefes das diplomacias dos nove países na segunda-feira e, posteriormente, na cimeira dos chefes de Estado e de Governo, que começa no mesmo dia em Brasília.

Quanto ao reforço da ligação com os países observadores associados que deverá constar no documento, o embaixador avançou que os Estados-membros querem "integrá-los melhor e bem na comunidade", acrescentando que "é sempre bom defender o alargamento da comunidade".

Na cimeira de segunda e terça-feira, deverá ser aprovada a entrada de cinco novos observadores associados - República Checa, Eslováquia, Hungria, Costa do Marfim e Uruguai -, que se juntam à ilha Maurícia, Namíbia, Senegal, Turquia, Japão e Geórgia.

Quanto à situação da Guiné Equatorial, que em julho cumpriu dois anos como membro efetivo da CPLP, há três pontos em cima da mesa: a ratificação dos estatutos da CPLP, cujo documento de ratificação foi entregue no sábado, a questão do ensino de português e a abolição da pena de morte.

Quanto à moratória da pena de morte na Guiné Equatorial, a Declaração de Brasília falará no respeito pelos trâmites legais no país, disse o embaixador, respondendo, quando questionado sobre se a CPLP não irá pressionar o país para abolir a pena de morte: "Vamos dar tempo e respeitar também o funcionamento de um Estado-membro".

Na Declaração de Brasília, também deve constar uma posição sobre a situação política Guiné-Bissau, onde foi alcançado um acordo para nomear um primeiro-ministro de consenso, afirmou o diplomata, recusando-se a avançar mais dados e a confirmar se há falta de consenso entre os países neste ponto.

A proposta da presidência timorense da CPLP, que agora termina dando lugar à brasileira, de institucionalizar o Fórum Económico Global, realizado pela primeira vez em Díli, Timor-Leste, com centenas de empresários de 25 países, contou com "uma certa reserva" do Brasil, pelo que foi decidido apenas realizá-lo de dois em dois anos, adiantou.

Timor-Leste também avançou que, na reunião do CCP, conseguiu o "apoio" dos restantes Estados-membros para incluir "o problema entre Timor e Austrália" quanto à delimitação das fronteiras marítimas na Declaração de Brasília e numa declaração específica sobre o mesmo assunto.

O problema levou o país lusófono a iniciar um Procedimento de Conciliação Obrigatória (PCO) a nível internacional contra a Austrália.

Após a aprovação os Planos de Ação de Brasília (PAB) e de Lisboa (PALis), em 2010 e em 2013, que definem as estratégias globais para a promoção e difusão da língua portuguesa, o Plano de Ação de Díli não vai ser aprovado na cimeira de Brasília, "perante a reserva de alguns Estados-membros, pelo atraso dos documentos", disse.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

ANYN(ASP/JH)// CC
Ex-ministra Lúcia Lobato quer “limpar a máfia” que diz “existir na justiça de Timor-Leste”

Ex-ministra Lúcia Lobato quer “limpar a máfia” que diz “existir na justiça de Timor-Leste”


A ex-ministra da Justiça de Timor-Leste tem vindo a denunciar, na sua página do Facebook, alegadas “irregularidades no julgamento” da qual foi arguida e condenada.

Lúcia Lobato, ministra do IV Governo Constitucional liderado por Xanana Gusmão, foi condenada em 2013 a uma pena de prisão de 5 anos por “participação económica em negócio com prejuízo ao Estado timorense numa valia de 4200 dólares“. Cumpriu dois anos de prisão efetiva devido a um indulto concedido pelo Presidente Taur Matan Ruak, em 2015. A antiga ministra foi considerada a “autora moral” do crime num incidente relacionado com a aquisição de fardas para equipar guardas prisionais da Direção Nacional dos Serviços Prisionais e de Reinserção Social.

Numa carta aberta dirigida à presidência do Parlamento Nacional em 2013, Lúcia Lobato revela preocupações com “irregularidades relacionadas com o seu julgamento”, preocupações que estão também ligadas com o pedido de demissão do antigo presidente do Tribunal de Recurso timorense, o juiz Cláudio Ximenes.

Na carta, a ex-ministra coloca em questão a declaração política do partido FRETILIN de 2013, no Parlamento Nacional (PN), onde se pôs em causa a conduta do juiz Cláudio Ximenes quanto à intervenção do seu processo para precaver manipulação nas decisões judiciais:

"Questiono, assim, a “agenda” encoberta ínsita nas declarações proferidas no Parlamento Nacional. Questiono como cidadã, como ex-Ministra da Justiça, quais são os verdadeiros intuitos por detrás de tais afirmações. Remover um juiz, timorense, com mais de 30 anos de Magistratura Judicial para substituir por alguém, certamente não qualificado, mais próximo do partido em causa? É essa a credibilização que se quer dar ao sistema judiciário de Timor-Leste?"

No seu Facebook, Lobato diz “autorizar a divulgação pública das suas comunicações móveis que manteve com diversos juízes”, porque a ex-ministra questiona uma “lista de chamadas” que o deputado, Aniceto Guterres, apresentou no PN como prova de que havia comunicações entre a arguida e o juiz Cláudio Ximenes com planos para a ajudar a libertar da prisão. “Se o argumento de que manter comunicações com a arguida passou para afastar o juiz Cláudio Ximenes do meu processo, mediante um incidente de suspeição, tal deveria também ser o caso relativamente a outros intervenientes”, sublinha.

Em abril de 2013, em declarações ao Jornal Suara Timor Lorosae (STL), o juiz Cláudio Ximenes, reagiu às acusações do deputado Aniceto Guterres da seguinte maneira:

"A informação dada pelo deputado Aniceto Guterres, no que toca à minha promessa de rever o processo do referido caso, a fim de libertar a condenada Lúcia Lobato da prisão através da “habeas corpos” não é correcta."

Nesse mesmo ano, numa entrevista ao Jornal Nacional Diário, Aniceto Guterres, rejeitou qualquer envolvimento na acusação de Lúcia Lobato. Guterres afirma ainda que se sente vítima de acusações falsas por parte da defesa da ex-ministra da Justiça e que no momento certo irá remeter uma queixa por denúncia caluniosa contra a defesa da mesma.

"Eu não tenho qualquer interesse no caso da Lúcia Lobato, como jurista interessa-me o sistema da justiça, que é que tem mesmo interesse no caso da Lúcia Lobato, como jurista interessa-me o sistema da justiça, temos de ver e temos de desvendar."

Processo contra juízes por falta de imparcialidade

Em fevereiro deste ano, Lúcia Lobato declarou à agência de notícias Lusa que admitia avançar com um processo de investigação contra dois juízes portugueses por estes terem sido parciais no seu julgamento.

A juíza portuguesa, Margarida Veloso, antiga inspetora judicial em Timor-Leste que participou no Conselho Superior da Magistratura (CSM) em 2013, apresenta factos indicando que os juízes que mantiveram a condenação da ex-ministra timorense não foram isentos. De acordo com os factos apresentados, uma magistrada timorense terá “ameaçado” um juiz Português de não lhe renovar o contrato de trabalho caso este decidisse a favor da libertação da ministra da Justiça, Lúcia Lobato, através da aceitação do pedido de ‘habeas corpus’.

Margarida Veloso sublinha:

(O Dr. Rui Penha ofereceu-se para relatar o acórdão do Dr. José Goia para contra argumentar a decisão proferida pelo Sr. Presidente Dr. Cláudio Ximenes, enquanto o Dr. Cid Geraldo e Dr. José Goia, alegadamente com o Dr. Aniceto convenceram uma Juíza Nacional a integrar o colectivo), ao arrepio das normas que presidem a composição dos Colectivos junto do Tribunal de Recurso, comprometem também o papel do Juiz internacional na sua qualidade de assessor e formador, uma vez que transmitem praticas eticamente censuráveis e erradas“.

Em conversa com o Global Voices, Lúcia Lobato diz ter enviado cartas não apenas ao Parlamento Nacional mas também ao Governo. Até hoje, não recebeu uma resposta “qualificada”, disse:

"Não só enviei cartas ao Parlamento mas também ao Presidente e Governo antes e depois do tribunal me condenar, mas ninguém me respondeu… [de forma] qualificada."

Lúcia Lobato alega erros procedimentais e lança suspeição sobre a imparcialidade dos juízes envolvidos no caso, por questões políticas:

"Até hoje, nunca recebi nenhuma resposta à carta que enviei aos representantes do Povo no PN. Não apenas pelos deputados não terem vontade politica, mas também em saber por algumas fontes credíveis que o grande partido da CNRT no PN não se quer pronunciar em relação ao meu pedido por causa do “casamento” entre a CNRT e a FRETILIN. Responder ao meu pedido para levantar uma Comissão de Inquérito Parlamentar é como destruir a “lua-de-mel” CNRT-FRETILIN."

A ex-ministra termina lamentando que o mais importante sejam as agendas políticas dos partidos e promete “limpar a máfia” que acredita “existir na justiça timorense”:

"Se fizermos uma pequena análise politica, o importante é os partidos CNRT-FRETILIN cuidarem do seu “casamento” para assegurar as agendas politicas no PN do que ponderar a criação de uma Comissão de Inquérito Parlamentar com vista a investigar as acusações que envolvem o Chefe da Bancada da Fretilin, distinto deputado Aniceto Guterres e a sua esposa juíza (?) Maria Natércia Gusmão Pereira. Este é um esforço, com os meus próprios meios para contribuir em limpar a “máfia na justiça” em Timor-Leste mesmo que até hoje ainda não tenha tido uma resposta do Parlamento Nacional."

Eleições em 2017, “há quem considere que a ex-ministra está a fazer campanha”

Os seguidores do Facebook de Lúcia Lobato mostram-se solidários com ela dando-lhe força para a sua causa. No entanto, há quem considere que a ex-ministra está a fazer campanha contra o partido da Fretilin, numa altura em que as eleições legislativas se aproximam.


"Nós todos reconhecemos os defeitos deste pais. Nós todos reconhecemos a injustiça no nosso povo. Nós reconhecemos que o caso que mana Lúcia Lobato enfrenta também é uma injustiça. Mesmo assim, como cidadãos timorenses, nós temos de fazer um exame de consciência, talvez o nosso produto seja injusto para outros. Reconhecer que desde 2000 até 2006 e até hoje, 2016, os nossos líderes utilizam a “Politica Ordena a Lei”.

"Por isso qualquer um faz manobras para se salvar. Quem é que pode julgar o autor intelectual que esta a destruir Dili? A lei não esta certa, o tribunal não esta certo, o erro aponta-se imediatamente a Fretilin. O grupo pequeno que conspira e enfraquece a Lei com intenção de Roubar a riqueza de Timor-Leste, ninguém fala. Por isso, eu sou solidário para o caso da mana Lúcia Lobato pela injustiça que ela enfrenta. Mas para completar, ao falar de todo processo, fale também da lei que coxeia desde antes até agora para que todos compreendam. Senão as pessoas podem dizer que estando perto das eleições, a mana esta a fazer campanha contra a Fretilin. Peço desculpa, caso esteja errado, corrija-me."

Foto: Lúcia Lobato, ex-ministra da Justiça de Timor-Leste. Foto: António Verdial de Sousa/Director DNTP. Foto utilizada com Permissão de Global Voices

Partidu sira tenke iha kompromisu nebe’e forte ba respeita direitus ema…

Partidu sira tenke iha kompromisu nebe’e forte ba respeita direitus ema…


Partidu sira tenke iha kompromisu nebe’e forte ba respeita direitus ema nian no anti-politika divizionista--Iha diskursu no pratika


La to’o tinan ida ona maka ita sei hasoru eleisaun importante rua--Eleisaun ba Presidente iha fulan Marsu 2017 no ba Parlamentu iha fulan Julhu tinan hanesan. Nune’e maka ema barak, inklui ha’u rasik, komesa servisu makas ona ba aktividade partidu politiku nian. Ami la’o ho partidu foun, maluk sira barak seluk maka la’o ho partidu sira nebe’e harii nanis ona.

Liu husi meius ida ne’e hau hakarak fo hanoin ba hau aan rasik, nomos ba maluk sira seluk, kona ba pontus hirak nebe’e hau fiar sai nudar ita hotu nia dever. Iha tempu eleisaun ne’e partidu sira sei halo knar hotu atu hetan votus nune’e bele implementa sira nian politika. Maibe’e, hau fiar katak partidu sira iha dever atu tane as nafatin valores prinsipais sira ba respeita direitu ema nian, no iha dever atu kontra lia fuan hirak nebe’e sei harahun solidariedade ba komunidade nasional. Partidu la bele tolera hahalok no diskursu sira nebe’e rasista, regionalista, xenofobia, homofobia no hahalok sira seluk nebe’e promove diskriminasaun no odiu e vingansa.
  
Hanesan primeiru Prezidente Mocambique nian, Samora Machel, dehan “ema ida nebe’e rasista ne’e uluk nanain oportunista”. Oportunista duni tanba la iha argumentu nebe’e naton atu konvense sidadaun sira atu tuir nia politika. Tanba ne’e maka partidu sira iha dever atu esforsu makas hodi hapara manobra politika oportunista sira. Ita hotu tenke hanoin nafatin katak ita hotu involve iha politika atu lori moris diak ba Timor hotu, no atu harii Timor ida iha nebe’e Timor oan -hotu, la iha diskriminasaun, atu bele moris ho dignu.

Nune’e hau hanoin maluk sira hotu, talvez mea culpa mos, nebe’e hanaran aan “intelektuais” iha partidu sira laran mos iha dever atu kaer nafatin sira nian papel nudar intelektual. Hanesan matenek nain Noam Chomsky dehan, dever chave husi intelektual mak atu koalia lia los ba poder. Sira tenke konsiente katak la bele tolera hahalok sira nebe’e lohi no bobar para hetan deit poder. Sira tenke hanoin nafatin katak sira nian papel prinsipal iha partidu sira mak atu hatudu lialos. Laos atu manipula publiku hodi hetan poder. Hetan votu husi populasaun nian objetivu la’os poder em si, maibe’e nudar sinal da konfiansa ida hodi serbi sidadaun sira sem diskriminasaun.

Kandidatu Xefe Suku Becora Deskontente ho Eleisaun Suku

Kandidatu Xefe Suku Becora Deskontente ho Eleisaun Suku


DILI, (ANTIL) - Kandidatu Xefe Suku Becora, João da Silva “Choque” deskontente ho eleisaun suku ne´ebé hala´o iha Aldeia Au-hun, Suku Becora, Postu Administrativu Kristu Rei, Munisípiu Dili, Sabadu (29/10).

Eleisaun ne’e, tuir João, la organizadu no kuaze laiha segredu. Partisipante la komportável, tendénsia hamosu manipulasaun tanba seguransa ba votasaun ne´e mukit teb-tebes no sosializasaun ba prosesu eleisaun ne’ebe la espalla ho di´ak,  halo kunfuzaun.

“Ha´u la konsege avansa ba segunda ronda, tanba votus la to´o. Komu ne´e povu nia desizaun, entaun ita tnki respeitu,” nia dehan ba ANTIL iha nia hela fatin, Becora, Segunda (31/10).

Nia hela ho votus 1,800 hosi totál eleitor hamutuk 7,000, ne´ebé partisipa iha eleisaun refere. Entretantu, kandidatu António da Silva, xefe suku antigu, manán ho votus 4,070 no votus nulu 1,000. Posibilidade boot sei laiha eleisaun segunda ronda.

Choque ladún satisfás ho xefe suku eleitu, tanba tenta utiliza poder lori obriga ema analfabetu (buta huruf) kontinua hili nia (António). Maske nune´e,  nia lakohi hato´o protestu ba hahalok hirak ne´e, tanba eleisaun hotu la´o tiha ona no la importante ona atu protesta. (Jornalista: Xisto Freitas/Editor : Otelio Ote)

Foto: Kandidatu Xefe Suku Becora, João da Silva
Aviaun tula sasan nian lakon iha parte leste Indonézia

Aviaun tula sasan nian lakon iha parte leste Indonézia


Aviaun karga ida ho tripulante na’in haat, maka lakon durante voo ba parte leste foho Indonézia nian, tuir autoridade sira fó sai ohin. 

Aparellu, Caribau ida, lakon kontaktu ho kontrolu tráfegu aéreo nian, durante voo ne’ebé tuir lolos ho de’it durasaun meia-ora ba iha provínsia Papua, tuir Ministériu Transporte indonézia.

Iha komunikadu, ministériu ne’e fó sai katak aviaun – opera hosi empreza lojístika no transporte Alfa Trans ho propriedade hosi autoridade lokál – desloka bá sidade Timika iha tuku 07:57 atu bá Ilaga, komunidade agríkola ida ne’ebé lokaliza entre foho ninia leet.

Aviaun ne’e kontakta ona kontrolu tráfegu aéreo nian iha Ilaga tuku 08:23 hodi hateten katak, sei tuun iha minute balun, maibé lakonsege.

Autoridade sira haktuir katak aeronave ne’e haruka ona sinál emerjénsia hosi zoan ida entre foho rua ninia klaran. Autoridade sira sei buka tuir.

SAPO TL ho Lusa 
CPLP. Guterres hateten katak komunidade iha “posibilidade bot atu afirma ho intensidade liu tan”

CPLP. Guterres hateten katak komunidade iha “posibilidade bot atu afirma ho intensidade liu tan”


Futuru sekretáriu-jerál ONU nian, horisehik defende katak Komunidade Nasaun Lian Portugés (CPLP) iha “posibilidade bot atu afirma ho intensidade maka’as liu tan” no fó votu katak Estadu hothotu hatene halo organizasaun ne’e sai “fluenteliu tan”. 

“Ha’u fi’ar katak, problema hothotu sai globál liu tan. No tanba ne’e maka organizasaun universal ida hanesan CPLP, sei iha posibilidade atu afirma ho intensidade maka’as ba iha futuru”, dehan sekretáriu-jeral eleitu Nasoins Unidas, António Guterres, iha deklarasaun ba jornalista sira, durante resesaun ba komunidade portugeza, ho prezensa hosi Prezidente portugés, Marcelo Rebelo de Sousa, iha rezidénsia embasadór Portugal nian, iha Brazília.

Guterres, ne’ebé sei hahú ninia funsaun iha ONU, loron 01 fulan Janeiru tinan 2017, hateten, hein katak “governu sira hosi nasaun hotu bele hatene kona-ba ne’e no esforsu ne’e maka fó pozisaun ida ba CPLP, sai susesu liu tan”.

Antigu primeiru-ministru portugés ne’e partisipa iha XI Konferénsia xefe Estadu no Governu CPLP, ne’ebé hahú ohin iha Brazília, hafoin simu konvite hosi Prezidente brazileiru, Michel Temer.

SAPO TL ho Lusa 
CPLP. Dokumentu ikus sei aposta ba iha sirkulasaun livre hosi ema

CPLP. Dokumentu ikus sei aposta ba iha sirkulasaun livre hosi ema


Vizaun Estratéjika foun hosi Komunidade Nasaun Lian Portugés (CPLP), ne’eé sei aprova iha simeira Brazília, tenke aposta ba iha sirkulasaun livre ema nian, bens no serbisu nomós ba iha partisipasaun bot hosi nasaun observadór hirak ne’ebé asosia ona. 

Reprezentante permanente Timor-Leste ba iha organizasaun ne’e, Antonito de Araujo, hateten horisehik ba ajénsia Lusa katak dokumentu finál defini “atu iha hosi ne’e ba to’o tinan sanulu oin mai, komunidade ne’e sei sai oinsá”, to’o 2026, no sei inklui mos kestaun kona-ba “mobilidade ema nian, bens no serbisu” nomós “aspetu ekonómiku”.

Reprezentante timor-oan ba iha CPLP haktuir kona-ba rezultadu ikus hosi reuniaun Komité Kordenasaun Permanente (CCP), iha sábadu, hodi haktuir pontu balun hosi Vizaun Estratéjika Foun nian.

Maibé, nia esplika katak, dokumentu ne’e sei hetan aprovasaun durante enkontru xefe diplomasia hosi nasaun sia iha loron, no, hafoin, imeira xefe Estadu no Governu, ne’ebé komesa iha duni loron hanesan iha Brazília.

Kona-ba reforsu hosi ligasaun ho nasaun observadór asosiadu sira ne’ebé sei inklui mos ba dokumentu refere, embasadór ne’e dehan katak Estadu-membru hothotu hakarak “atu sira halo parte di’ak liu tan no fó di’ak ba iha komunidade", hodi hatutan tan katak “sempre di’ak defende kona-ba alargamentu komunidade”.

Iha simeira segunda no tersa-feira, sei aprova entrada hosi observadór asosiadu foun lima – Repúblika Checa, Eslovákia, Hungaria, Costa do Marfim no Uruguai -, ne’ebé hamutuk ba iha illa Maurícia, Namíbia, Senegal, Turkia, Japaun no Geórgia.

Kona-ba situasaun iha Giné Ekuatoriál, ne’ebé iha fulan jullu kumpri tinan rua hanesan membru efetivu CPLP nian, sei iha pontu tolu atu ko’alia : ratifikasaun hosi estatutu CPLP, ne’ebé dokumentu ratifikasaun ne’e entrega tiha ona iha loron sábadu, kestaun hanorin portagés no abolisaun ba pena morte.

Kona-ba moratória hosi kastigu mate iha Giné Ekuatoriál, Deklarasaun Brazília sei ko’alia bazeia ba trámites legál iha reai-laran, hateten embasador, hodi fó resposta ba pergunta kona-ba CPLP karik sei laobriga atu nasaun ne’e halakon pena morte: “Mai ita fó tempu no respeita mos funsionamentu hosi Estadu-membru nian ida”.

Iha deklarasaun Brazília nian mos sei inklui pozisaun ida kona-ba situasaun polítika Giné-Bissau nian ne’ebe maka alkansa ona akordu ida atu nomeia primeiru-ministru consensu, dehan diplomata ne’e, maibé lakohi fó sai dadus barak liu tan no hatutan katak sei falta konsensu entre nasaun hothotu, relasiona ho pontu refere.

Proposta presidénzia timor-oan nian ba CPLP, ne’ebé agora termina hodi fó fatin ba Brazil, institusionaliza Fórum Ekonómiku Globál, ne’ebé foin maka hala’o iha Dili, hamutuk ho emprezáriu hosi nasaun 25, konta ho "rezerva klaru ida" hosi Brazil, tanba desidi atu hala’o de’it iha tinan rua-rua nia laran, hatutan.

Timor-Leste mos haktuir katak, iha reuniaun CCP, konsege hetan “apoiu” hosi Estadu-membru seluk, atu hatama mos “problema entre Timór no Australia” nian, relasiona ho delimitasaun fronteira maritima, iha Deklarasaun Brazília no ba iha deklarasaun espesífika ida, kona-ba assuntu hanesan.

Problema ne’e maka halo nasaun luzófona hothotu, hahú ho prosedimentu Konsiliasaun Obrigatória (PCO) ida, ba iha nível internasionál kontra Australia.

Hafoin aprovasaun ba Planu Asaun Brazília (PAB) no Lisboa (PALis) nian, iha tinan 2010 no 2013, ne’ebé maka defini estratéjia globál ba promosaun no difuzaun lian portugés, planu asaun iha Díli sei la aprova iha simeira Brazília, “tanba sei heian Estadu-membru balun, ne’ebé ladauk hatama dokumentu”, hateten.

Nasaun hirak ne’ebé halo parte iha CPLP maka hanesan Angola, Brazil, Kabuverde, Giné-Bissau, Giné Ekuatoriál, Mosambike, Portugal, São Tomé e Príncipe no Timor-Leste.

SAPO TL ho Lusa 
Semana ne’e, ME Hahú Halo Koresaun ba Materia Ezame

Semana ne’e, ME Hahú Halo Koresaun ba Materia Ezame


DILI, (ANTIL) – Ministru Estadu Koordenadór Asuntu Sosiál no Ministru Edukasaun, António da Conceição hatete, sei halo instrusaun ida atu hatene estudante sira ne’ebé tuir ona ezame lokál no nasionál nomos seidauk. Tanba, Tersa (4/11) semana ne’e halo ona koresaun ba materia.

“Maibé, ha’u presiza identifika estudante sira ne’ebé la-tuir ne’e, presiza situasaun ida atu bele atualiza iha Konsellu Ministru”, Ministru Edukasaun informa ba ANTIL iha Palasiu Governu, Segunda (31/10). “Se bele loke fila fali ezame segunda volta ba grupu kariensiadu sira”, katak nia.

Asuntu ne’e, tuir nia, bainhira ME halo sansaun ruma ba estudante ida liliu karik estudante sira ne’ebé karik hetan problema ruma iha dalan klaran, bele prejudika estudante nia moris tomak, tan ne’e sei tetu lai.

“Investimentu inan-aman nian besik tinan 12 hakarak sira nia oan hetan rezultadu ezame ida, maibé to’o iha dalan klaran nia hetan problema ruma, tan de’it ida ne’e, ita fó sansaun sei prejudika estudante nia moris ba tempu naruk”, afirma. “Entaun buat sira ne’e tenke tetu no lori mai hetan aseitasaun iha Konsellu Ministru, posivelmente sei iha fila fali ezame ba sira”.

Husu kona-ba totál estudante sira ne’ebé karik la-konsege tuir ezame lokál no nasionál, António da Conceição informa, provizoriamente tuir informasaun ne’ebé nia iha, seidauk inklui teritóriu Timor-Leste katak aproximadamente iha estudante na’in 39.

“Dadus ne’ebé mak ha’u hatene, iha eskola ne’ebé ha’u ba, iha Maliana 27 pesoas la-tuir ezame lokál, iha Baucau na’in 12, aproximademente iha 39. Ne’e eskola sira ne’ebé mak ha’u iha informasaun no seidauk simu tan husi teritóriu tomak, posibilidade númeru bele boot liutan,” nia informa.

Kestaun iha estudante ruma ne’ebé grávida, ME sei rekolla dadus no buka justifika. Ho justifikasaun, sei iha oportunidade bele loke ezame segunda ronde.

Kalendáriu ezame lokál no nasionál ne’ebé Ministériu Edukasaun define tiha ona hodi hala’o ezame ne’e mak hahú Segunda, 24 to’o 29 Outubru 2016. (jornalista: Rafy Belo; editor: Rita Almeida)

Foto: Ministru Edukasaun, António da Conceição
KNK HIV-SIDA Aprezenta Dokumentus ba KM

KNK HIV-SIDA Aprezenta Dokumentus ba KM


DILI, (ANTIL) – Komisaun Nasionál Kombate HIV-SIDA hamutuk ho Ministériu Solidaridade no Sosiál aprejenta dokumentu kona-ba estratéjia kombate HIV/SIDA no Momerandum of Understanding entre komisaun HIV/SIDA Indonésia ho Timor-Leste atu servisu hamutuk nomos oinsá tulun halo prevensaun ba Konsellu Ministru, Segunda, (31/10) iha Palasiu Governu.

“Tuir ajenda ne’ebé iha, ami ohin mai atu ko’alia kona-ba situasaun jerál HIV/SIDA, oinsá atu kombate no redus”, Sekretariu Ezekutivu Nasionál Kombate HIV/SIDA, Daniel Marçal ba jornalista hafoin partisipa enkontru Konsellu Ministru iha Palasiu Governu, Segunda, (31/10). “Ideia balun hosi membru governu sira atu hadi’a estratéjia no planu MoU ne’e iha tempu badak hafoin aprova no fasilita serbisu”.

Nia informa, membru governu sira apresia ho esforsu maka’as entre parte rua.  (jornalista: Julia Chatarina; editora: Rita Almeida)
Operasaun adia eis-ministra Finansas ninia viajen mai Dili hodi halo julgamentu

Operasaun adia eis-ministra Finansas ninia viajen mai Dili hodi halo julgamentu


Eis-ministra Finansas, Emília Pires, ne’ebé tuir lolos sei halo julgamentu iha Tribunál Dili, foin bele fila hikas mai Timor-Leste, hafoin halo tiha lai operasaun ba ninia ain-ida iha loron 5-fulan novembru, tuir ninia advogadu hateten. 

José Camões, advogadu hosi defeza Emília Pires nian, esplika katak ninia kliente sei fila hikas mai Dili iha fulan ne’e, hafoin halo viajen bá estranjeiru hodi reprezenta Estadu, maibé tanba problema ho ninia ain ne’ebé “grave” maka presija halo sirurjia.

"Médiku sira analiza ona situasaun ne’e no haktuir katak laiha opsaun seluk ka tenke opera. No operasaun ne’e sei halo iha 5-novembru”, nia esplika ba Lusa.

"Hafoin halo tiha operasaun maka ita foin bele hatene presija to’o bainhira maka hetan rekuperasaun no bainhira los maka nia bele fila”, tuir esplikasaun.

Defeza ne’e haruka ona atestadu médiku ba Tribunál Díli, hanesan prova ida katak durante operasaun nia presija pedidu ida atu Emília Pires bele subtitui ho mandatáriu iha ninia julgamentu, tuir hatuur iha Kódigu Prosesu Penál.

Audiénsia tuir mai ne’ebé marka ba 4-novembru, Tribunál Dili maka sei fó sai kona-ba pedidu defeza nian ne’e nomós atu hodi determina prosesu ne’ebé sei remata.

Haktuir hikas katak iha segunda-feira kotuk, juiz koletivu sira fó ona prazu loron lima ba Emília Pires atu fila hikas mai Dili no entrega pasaporte, hodi lakohi atu autoriza tan Emilia sai hosi nasaun ne’e.

Emília Pires, ne’ebé hetan akuzasaun ho eis-ministra Saúde Madalena Hanjam, tanba partisipasaun ekonómika ba iha negósiu no administrasaun danoza, husu autorizasaun ba Tribunál Díli atu reprezenta Estadu Timór, sai bá estranjeiru.

Eis-governante rua ne’e, sujeira ba medida koasaun ne’ebé inklui mos atu lasai hosi teritóriu laran, maibé juis fó autorizasaun katak Emília Pires maka sei reprezenta Timor-Leste ba iha reuniaun oioin iha Estadus Unisu Amérika no Europa.

Maski nune’e, autorizasaun ne’e to’o de’it 19-outubru, hanesan loron ne’ebé Emília Pires tenke fila hikas mai Timor-Leste, hodi entrega pasaporte iha 20-outubru no ba fó ninia deklarasaun ikus iha tribunál, iha falo loron tuir mai.

Maibé, defeza Emília Pires nian, aprezenta ona rekerimentu iha 18-outubru hodi husu adiamentu atu Emília fila hikas iha fali loron 1-novembru no fó ninia deklarasaun ikus, hanesan pasu finál molok julgamentu hodi hatene sentensa ne’ebé Pires sei simu.

Tribunál hatan atu lafó deklarasaun, maibé rejeita pedidu ba adiamentu nomós husu atu eis-ministra tenke aprezenta/entrega pasaporte iha loron lima nia laran.

Emília Pires ho Madalena Hanjam hetan akuzasaun tanba iregularidade hosi sosa kama atus ida ba ospitál hodi halo fali kontratu ho empreza hosi Emília ninia laen nian, hodi ikus mai sira bele fahe osan ho valór dolár rihun 800.

Alegasaun ikus hosi defeza ne’e, hakotu ho krítika hasoru Ministériu Públiku nomós forma oinsá prosesu ne’e la’o, desde inisiu, iha tinan 2012.

Julgamentu ne’e hahú tinan ida resin ona no rona mos testamuña barak, inklui eis-prezidente Xanana Gusmão ho José Ramos Horta, nomós eis-primeiru ministru Mari Alkatiri.

SAPO TL ho Lusa 
Fretilin fó sai kona-ba iregularidade hosi eleisaun lokál iha Timor-Leste

Fretilin fó sai kona-ba iregularidade hosi eleisaun lokál iha Timor-Leste


Líder hosi partidu Fretilin nian sira, ohin fó sai sira-ninia preokupasaun relasiona ho iregularidade nomós “dezorganizasaun bot” ne’ebé akontese iha fatin votasaun ba eleisaun lokál iha sábadu foin daudaun. 

"Ezisti desorganizasaun barak. Sira entrega responsabilidade ba suku no aldeia maka organiza ida ne’e no mosu problema oioin, balun mosu hoosi lei eleisaun rasik”, dehan Mari Alkatiri, sekretiu jerál Fretilin ba Lusa.

"Ha’u rasik, bainhira ba vota, ha’u haree katak kandidata hosi xefe suku ida mos, ba iha meza hodi kontrola. Imajine ida ne’e maka akontese iha atu eleitorál kualkér”, nia hatutan tan.

To’o oras ne’e Lusa ladauk konsege hetan komentáriu hosi autoridade hirak ne’ebé responsável ba eleisaun iha sábadu ne’e, no ladauk iha mos dadus ofisiál ruma relasiona ho rezultadu eleisaun nian. Alkatiri dehan katak, nia haruka ona mensajen ba primeiru ministru no ministru Administrasaun Estatál kona-ba problema ne’e, hodi esplika situasaun balun ne’ebé lei rasik maka kria.

"Sira desidi halo lista hothotu nakloke, maibé fó komplikadu ba aldeia 2000 no suku 442. Problema hothotu iha ronda daruak ba votasaun aldeia nian, iha kandidatu eleitu ne’ebé ho de’it votu 10%", dehan.

Tuir lei, hala’o segunda volta ba eleisaun xefe aldeia, bainhira kandidatu ida lakonsege hetan votu 50% maioria, iha sábadu foin daudaun, independentemente hosi eleitór sira ne’ebé halo parte.

Kona-ba eleisaun volta daruak hosi xefe suku nian marka ona ba 24-novembru.

“Lei ne’e kala lalos ka bulak uitoan ona. Agora ita tenke halo balansu kompletu ba saida maka akontese, maibé koko atu koriji lei ne’e iha baze, ne’ebé maka situasaun hothotu legál, no ladun halo buat barak, Atu koriji it abele halo revizaun ba lei”, nia dehan.

Alkatiri dehan katak eleisaun ne’e hanesan lejítima "ba iha kandidatu eleitu iha primeira volta” no “ba volta daruak legalmente los ba segunda volta” relasiona ho kazu aldeia nian.

"Ita labele halo buat ida. Ema balun eleitu ho de’it votu 10%. Bele sai buat ne’ebé komplikadu ba ema ne’ebé sei atu asumi kargu durante tinan lima ka neen no komunidade rasik lahetene ", nia dehan.

Ba Mari Alkatiri, "ne’e hanesan lisaun ida ba ema hotu atu aprende katak, la’os de’it lei maka haree kona-ba lejitimidade: “Maibé presija haree mos ba realidade no kontestu. Tanba karik la’e maka ditadór sira mos sai nu’udar lejítimu”, nia dehan hodi hatutan tan katak, hanesan mos “lisaun ida ba prosesu deskonsentrasaun no autonomia administrativa".

"Sira fó autonomia ba komunidade baze sira, maibé sira presija kbi’it organizativa no administrativa. Karik ida ne’e laiha, maka labele iha autonomia”, nia konsidera.

Francisco Guterres (Lu-Olo), prezidente Fretilin, nia mos hato’o ninia preokupasaun hanesan liu hosi ninia pájina Facebook rasik, hodi kestiona kona-ba lejitimidade hosi votasaun balun iha sábadu foin daudaun.

Númeru totál hosi eleitór nian, ladun klaru, konfuzaun ho boletin votu (ba xefe aldeia, xefe suku no delegadu sira) nomós ba iha númeru kandidatu nian, hanesan problema balun ne’ebé prezidente Fretilin fó sai. Nia mos hatutan tan kona-ba eleisaun xefe aldeia ne’ebé sei hili iha ronda daruak.

Lu-Olo, ne’ebé hakarak atu "prosesu ne’e la’o ho susesu no transparénsia”, ba hasoru autoridade sira hodi apela, atu haree ho didi’ak situasaun oioin ne’ebé mosu, hodi nune’e eleisaun refere halo ema hotu sente haksolok.

Eleitór besik rihun 720 maka tenke eskolla responsável ba suku 442, ne’ebé sei hala’o knar ho estrutura haat: Konsellu suku, xefe suku, Asembleia Aldeia ho Xefe Aldeia.

SAPO TL ho Lusa 
Maske Mosu Fallansu, Eleisaun Suku La’o Susesu

Maske Mosu Fallansu, Eleisaun Suku La’o Susesu

                                                             Rezultadu provisoriu eleisaun suku

DILI, (ANTIL) – Diretór Jerál Dezentralizasaun Administrasaun Ministériu Administrasaun Estatál, Abilio José Caetano rekoñese, realizasaun eleisaun suku tuir lei númeru 9/2016 iha fallansu maibé eleisaun konsega la’o ho susesu iha teritoriu Timor laran tomak.

 “Estatal rekoñese iha fallansu, ita presiza halo mudansa maibé ne’e kabe ba kompeténsia dezisaun polítika sira nian, ami tekniku labele temi atu hadi’a loos saida,” Abilio José Caetano informa iha konferénsia imprensa iha edifisiu Ministériu Administrasaun Estatal, Kaikoli, Segunda, (31/10).

Abilio hatutan, prosesu eleisaun ne’e difikuldade ida mak kestaun seguransa, hanesan iha fatin balun polísia la-asesu tanba, númeru polísia nian. Nune’e mós atetude votante sira seidauk iha sensibilidade partisipa eleisaun.

Iha fatin hanesan Diretór Dirasaun Nasionál Administrasaun Suku (DNAS), Amandio Paulino Gastão Sousa aumenta, eleisaun orgaun suku la’o ho susesu maske iha fallansu barak. “Ne’e susesu boot ida, kuandu ita kompara ho eleisaun jerál,” Paulino kompara.

Hodi aumenta susesu ne’e hatudu istória murak ba VI governu konstitusional espesialmente Ministériu Administrasaun Estatál.

Rezultadu provisoriu

Munisípiu Aileu totál suku 31, xefe suku ne’ebé eleitu ona iha suku neen, avansa ba segunda volta 25 suku, feto ida mak eleitu ona no feto nain tolu mak passa ba segunda ronde. Aldeia hamutuk 135, iha 110 mak eleitu ona no aldeia 25 mak sei passa ba segunda volta iha feto nain tolu mak eleitu ona.

Orgaun konsellu suku mane totál delegadu hamutuk 135 maibé provisoria seidauk iha informasaun kona ba eleito iha primeira volta, segunda volta. Orgaun konsellu suku feto iha nain 135 maibé informasaun provisoria hanesan mós mane seidauk iha nímeru fiksu iha primeira ronde ho segundu ronde.

Munisípiu Ainaro, suku hamutuk 21, xefe suku tolu eleitu ona iha primeira ronde, 18 avansa ba segunda ronde no feto ida mak eleitu ona. Aldeia hamutuk 131, eleitu primeira volta hamutuk 102, segunda volta 29, iha feto rua eleitu. Orgaun konsellu suku mane 131 provisoria seidauk iha informasaun, nune’e mós feto.

Munisípiu Baucau suku hamutuk 59, eleitu ona 26, ba segunda ronde 33, feto tolu mak eleitu, rua avansa segunda volta. Xefe Aldeia totál 281, eleitu primeira volta 256, segunda volta 25, feto tolu mak eleitu ona, ba segunda ronde feto seidauk iha informasaun. Konsellu suku mane 281 sira eleitu hotu iha primeira ronde, nune’e mós feto.

Munisípiu Bobonaro  totál suku 50, xefe suku eleitu iha ona 20, suku 30 avansa ba segunda ronde, feto eleitu laiha, maibé iha ida passa ba segunda volta. Xefe Aldeia totál 194, aldeia 45 eleitu ona, 149 ba segunda volta provisoria konaba feto seidauk iha informasaun. Konsellu suku mane ho feto eleitu hotu 194 iha primeira ronde.

Munisípiu Kovalima totál suku 30, totál votante 31.138, iha suku hitu mak eleitu mak eleitu ona segunda volta suku 23, feto rua mak avansa iha segunda volta. Xefe Aldeia totál 148, totál votante 31.738, iha aldeia 86 mak eleitu ona no 59 avansa segundu ronde inklui feto nain 9. Konsellu suku mane no feto totál 148 hosi totál eleitu hotu iha primeiru ronde.

Munisípiu Dili totál suku 31, suku lima eleitu iha primeira ronde, 26 pasa ba segunda ronde, feto tolu mak eleitu ona. Xefe aldeia hamutuk 241, to’o agora seidauk iha informasaun eleitu no ba segunda ronde. Nune’e mós ba konsellu suku feto ho mane.

Munisípiu Ermera totál suku hamutuk 52, eleitu ona, suku hitu ba segunda ronde suku hamutuk 45, feto ida mak avansa ba segunda ronde. Xefe Aldeia hamutuk 276, primeira volta eleitu ona 163 no 103 avansa segunda volta iha aldeia 10 eleitu hosi feto. Konsellu suku mane no feto 276 provisoria laiha informasaun.

Munisípiu Lautem totál suku 34 hosi votante 42483 iha suku 15 mak eleitu ona iha primeira ronde no 19 avansa ba segunda ronde inklui feto ida. Xefe Aldeia hamutuk 151, primeira volta iha ona 125 segunda volta iha 26. Iha feto 3 eleito ona iha primeira ronde. Konsellu suku mane no feto hamutuk 151 eleitu hotu iha primeira ronde.

Munisípiu Likisa totál suku 23 avansa hotu ba segunda volta feto iha nain 2 xefe aldeia iha 134 , eleitu iha primeira volta 71, ba segunda volta 63 inklui feto nain tolu. Konsellu suku mane no feto hamutuk 134, maibé iha feto 3 eleitu iha ronde primeiru nian.

Munisípiu Manatuto totál suku 29, xefe suku eleitu sia, segunda ronde 20 no feto ida eleitu ona no ida ba segunda ronde. Xefe aldeia hamutuk 99, primeira volta 97, segunda ronde 2 feto lima mak eleitu. Konsellu suku mane primeira volta 99, nune’e mós feto 99.

Munisípiu Manufahi totál suku 29, eleito ona 8 ba segundu ronde 21 iha feto rua mak avansa ba segunda ronde. Xefi Aldeia hamutuk 137, primeira volta 33 no avansa ba segunda volta 102 hosi totál vontante 35.936. Konsellu suku hamutuk 137 liu hotu primeiru volta.

Munisípiu Vikeke totál suku hamutuk 35, eleitu 18, segunda ronde 14. Nune’e mós xefi aldeia iha 234 maibé seidauk iha informasaun inklui konsellu suku feto ho mane.

Rejiaun Administrativu Espesial Oecusse Ambeno (RAEO) iha suku 18, eleitu rua, avansa segundu volta 16. Xefe aldeia hamutuk 63 liu hotu iha primeira ronde nune’e mós konsellu suku feto ho mane 63 liuhotu iha primeira ronde.

Eleisaun ba segunda ronde sei realiza iha loron 13 Novembru. (jornalista: Manuel Pinto; editora: Rita Almeida)
Sidadaun Ne’eb la Vota, Lakon Ona Oportunidade

Sidadaun Ne’eb la Vota, Lakon Ona Oportunidade


DILI - Primeiru Ministru (PM), Rui Maria de Araújo, afirma, sidadaun hotu iha direitu atu foti desizaun ba vota no la vota, maibé ba sira ne’ebé la vota ne’e lakon ona oportunidade.

“Lei la obriga katak, votasaun ne’e la’ós obrigatóriu, mas hanesan sidadaun ita la vota, ita lakon oportunidade atu ejerse direitu ida ne’ebé atu hili líderes sira ne’ebé moris hamutuk iha komunidade sira nia le’et,” PM Rui ba jornalista sira hafoin tuir votasaun iha sentru votasaun, suku Acadiruhun, Aldeia Bedik, Postu Admistrativu Na’in  Feto, Munisípiu  Dili, Sábadu, (29/10).

Xefe Governu hatutan, lei sira iha loke ona dalan ba eleisaun, sidadaun hotu-hotu lolo’os  tenke partisipa iha votasaun ne’e, tanba lideres komunitáriu   sira mak lor-loron servisu ho komuniade atu bele muda situasaun iha komunidade nia leet iha nivel aldeia no suku sira.

“Ha’u nia hanoin prosesu eleisaun suku ida agora iha inovasaun lubuk ida hosi prosesu kandidatura to’o prosesu eleisaun, se ita haré  didi’ak kandidatura nakloke maka’as, ita haré  kandidatu barak mak halo sira nia kampaña programa ba komunidade sira”hatete PM Rui.

Iha prosesu ne’e iha buat rua mak mosu maka’as, kuandu kompara ho eleisaun suku sira seluk ladun haree buat ne’ebé mosu iha eleisaun ne’e, tanba iha eleisaun ne’e kandidatura joven feto no mane barak los.

Ne’e hatudu katak dinamika foun ida iha demokrasia Timor Leste nian, tanba joven feto no mane hatudu interese maka’as atu sai lider iha sira nia komunidade rasik.

Hosi pontu de vista organizasaun ba eleisaun ne’e kompara ho tinan sira uluk, ESTAE anivel nasional mak organiza hodi halo eleisaun sira ne’e bele la’o , maibé eleisaun ida agora governu fob a autoridade munnisipais sira, administrative no xefe  suku enjersisiu mak organiza prosesu sira ne’e tomak no ESTAE fo apoiu tekniku.

Depois Comisaun Nasional Eleisaun (CNE) ejerse sira nia funsaun atu halo superviziona hodi haré  prosesu sira ne’e tuir ona lei kalae.

Entaun prosesu ne’e avansu, se ita akompaña VI governu konstitusional dudu prosesu deskonsentrasaun admistrasoes munispais sira, eleisaun ne’e hanesan teste ida ba admistrasoes munispais sira.

Tanba semana tolu liu ba governu sentral hahú  entrega poder ba iha munisípiu  sira, portantu eleisaun ida agora hanesan teste ka exame ida ba primeiru ba admistrasaun munispais sira nia kapasidade oinsa mak bele organiza eleisaun iha anivel suku.

Se kompara ho eleisaun anteriores haré  katak iha prosesu lubuk ida mak avansa  ona ba oin.

Entretantu Xefe  Suku Lahane Oriental, Postu Admistrativu Na’in  Feto Munisípiu  Dili, Fernando da Cruz hatete, eleisaun suku tinan ne’e komunidade barak mak ladun komprende kona-ba  prosesu eleisaun.

Tanba eleisaun suku ne’e, kandidatura ba xefe  aldeia no delegadu feto no fotografia la iha, entaun komunidade sira la komprende di’ak atu hili ema.

Nia lamenta ho servisu STAE nian, tanba sosializasaun mínimu  liu, entaun komunidade sira mos la hatene prosesu eleisaun suku.

“Ha’u hanoin eleisaun suku tinan ne’e bele la’o  di’ak, mas fallansu sei iha barak,” hatete xefe  suku ejersísiu ne’e.

Nia hatete, sentru votasaun iha suku Lahane Oriental iha fatin ha’at fatin ida iha Ensinu primaria númeru  5 Aituri Laran, Ensinu Primaria Mota Ulun, Eskola Amigu de Jesus no Sentru Juvinil.

Aldeia 13 iha suku Lahane Oriental, Aldeia 4  partisipa eleisaun iha Ensinu Primaria Mota Ulun, Aldeia 4 iha eskola Primaria númeru  4 Aituri Laran, aldeia ida iha Sentru Juvinil no Aldeia 4 iha Eskola Amigu de Jesus.

Total populasaun agora atu tuir votasaun hodi hili sira nia lideransa hamutk 7431, ne’ebé hosi númeru  ne’e garante katak bele mai vota hotu.

Entretantu suku Lahane Oriental, Pakote hamutuk 10 mak kompete iha eleisaun suku tinan 2016 iha feto 2 no mane 8. (gus)

Timor Post
Kandidatu Xefe Suku Barak Avansa ba Segunda Volta

Kandidatu Xefe Suku Barak Avansa ba Segunda Volta


DILI - Eleisaun ba lideransa suku ne’ebé hala’o dala ida (serentak) iha loron Sábadu, 29/10, ne’e iha kandidatu barak mak avansa ba eleisaun daruak (segudo volta), tanba rejultadu votus la atinji 50% + 1. 

Eleisaun dahuluk ba kandidatu xefe suku sira uza sistema atribuisaun mandatu maioria absoluta (50% totál votu válidu + votu 1). Entretantu eleisaun ba daruak uza atribuisaun mandatu maioria simples (kandidatu/a ne’ebé hetan totál votu válidu barak liu mak manan iha eleisaun ne’e)

Tuir mai iha suku balun ne’ebé Jornalista Timor Post konsege halo kobertura no hetan rejultadu votasaun mak hanesan tuir mai.

Lahane Oriental

Iha suku Lahane Oriental, Munisípiu Dili, iha pakote 10 mak kompete iha eleisaun ba lideransa Suku, iha kandidatura na’in  rua hanesan Saturnino Soares no Sebastião A. Pinto mak kontinua avansa ba segunda ronde tanba kontagen votus provizoriu nian na’in  rua nian hanesan.

Tuir Prezidente meza aldeia Becoe, Suku Lahane Oriental José  da Cruz hatete, kontagen provizoriu ba kandidatura na’in  10, iha na’in  8 mak vorus la barak hodi lakon no iha kandidatura na’in  rua mak sira númeru votantes kuaze hanesan.

“Ami halo kontagen hodi kalan, haré katak, kandidatura na’in  rua hanesan Saturnino Soare Bareto ho Sebastião A. Pinto sira na’in  rua nia votus kuaze porsentu 80%, tanba ne’e sira na’in rua sei kompete hadau malu iha segunda ronde hodi lidera suku Lahane Oriental,” hatete Prezidente Meza José  ba Timor Post iha Suku, Lahane Oriental, Domingu, (30/10)

Tuir prezidente meza, bainhira  kandidatura na’in  rua ne’e avansa ba segunda ronde, ne’e tenke hein to’o loron 15.

Enkuantu hosi loron 15 ne’e, kompetensia tomak iha ESTAE mak sei haré  fali hodi organiza ba faze segunda ronde nian.

Entretantu tuir lista kontagen provizoriu ne’ebé mak Timor Post asesu iha fatin kontagen entre aldeia 8 iha suku Lahane Oriental identifika katak, númeru  votantes iha de’it kandidatura na’in  rua nian mak bo’ot liu sira na’in  8 seluk.

Aldeia 8 ne’ebé diariu ne’e asesu iha sentru vitasaun 2 hanesan Sentru Votasaun Mota Ulun no Sentru Votasaun SD 5 Auturi Laran no aldeia 4 monta iha sentru votasaun Mota Ulun mak hanesan aldeia Sare, Becoe Rai Mean no Suhu Rama aldeia 4 monta iha Sentru Votasaun SD 5 Aituri Laran mak hanesan aldeia Tubarai, Metin, Temporal no Postu Final. (gus)

Timor Post